Blog/China/Cultura Chinesa/Curiosidades/Viagens/viver na China

Patrimonios da Humanidade na China – UNESCO 2

Dando continuidade aos posts sobre os patrimônios da Humanidade na China (não esqueçam que tem mais fotos de cada um deles na página do blog no facebook).

Quem perdeu o primeiro post, é só clicar aqui.

Lembrando que quem realizou toda a pesquisa do texto e das fotos foi Ana Cristina Nasguewitz, que cedeu seu trabalho para essas publicações.

Hoje estaremos mostrando  quatro monumentos. Ainda teremos mais 40! =]

Mausoleum of the First Qin Emperor

Mausoléu do Primeiro Imperador da Dinastia Qin – Exército de Terracota – O Mausoléu do Primeiro Imperador Qin (Qin Shi Huang) está localizado a 30 quilômetros a leste de Xi’an na China, província de Shaanxi e foi construído ao longo de 38 anos, 246-208 AC. Situa-se debaixo de um túmulo em um monte de 76 metros de altura. O layout do mausoléu baseia-se na capital de Qin Xianyang, divididos em cidades do interior e exterior.

A circunferência do centro da cidade fica a 2,5 km e o exterior é de 6,3 km. O túmulo está localizado no sudoeste do centro da cidade. O compartimento principal, câmara do túmulo do caixão e artefatos funerários, é o núcleo do complexo arquitetônico do mausoléu.

A tumba em si ainda não foi escavada. Explorações arqueológicas concentram-se atualmente em vários locais da necrópole extensa em torno do túmulo, incluindo o Exército de Terracota, a 1,6 km a leste do monte (túmulo). O Exército de Terracota serviu como uma guarnição para o mausoléu e ainda não terminou de ser escavado.

Em 1987, o Exército de Terracota e o mausoléu foram listados como Patrimônio Mundial da UNESCO.

981827_619872118046442_1313715416_o

969807_619871941379793_193912049_n

1006033_619871734713147_1698006069_n

1097273_619871521379835_909236368_o

Mogao Caves

Grutas de Mogao – Situadas nos arredores da cidade de Dunhuang, na província de Gansu, no noroeste da República Popular da China, compõe-se de 735 covas com mais de 45 000 metros quadrados de pinturas murais, que as tornam o maior conjunto de arte budista do mundo.

Elas ficam num ponto estratégico ao longo da Rota da Seda, caminho  importantíssimo para o comércio da Idade Média, com variadas influências intelectuais, culturais e religiosas. Os 492 santuários nas cavernas e grutas em Mogao são famosos por suas estátuas e pinturas rupestres, abrangendo cerca de mil anos de arte budista. Também conhecidas como as “Cavernas dos Mil Budas”, as Grutas de Mogao foram escavadas no ano de 366, na encosta da Montanha Mingshashan.

Estendem-se de norte a sul por quase dois quilômetros. Ao mesmo tempo em que se esculpiam as esculturas exteriores, as covas interiores iam sendo preenchidas com as estátuas dos budas. Os murais com temas budistas mostram narrações dos sutras e representações de budas e personagens mitológicos oriundos da Índia, Ásia Central e outras partes da República Popular da China.

Consideradas pelos peritos como uma “Enciclopédia da Idade Média” (séculos IV a IX), foram incluídas na lista do Patrimônio Mundial da UNESCO em 1987. Nos 20 anos seguintes ao descobrimento desse precioso sitio, desapareceram cerca de 40 mil passagens dos sutras, assim como incontáveis murais e esculturas. Como consequência das expropriações na China, só se conserva a terceira parte do que originalmente havia nas cavernas.

A erosão natural provocada pelo vento, pela chuva, pelas tempestades de areia, assim como os danos causados pelas próprias pessoas, têm afetado gravemente os delicados afrescos, que sofrem com mudanças na coloração e na sua estrutura. Com o objetivo de proteger este valiosíssimo legado humano, a Academia de Dunhuang da República Popular da China trabalha para introduzir o programa “Dunhuang Digital”, no qual também participam organizações e centros de pesquisa do Reino Unido, França, Rússia e Estados Unidos.

998869_620363661330621_1674950271_n

1013666_620363824663938_1007731256_n

1084953_620363964663924_2014895684_o

1119999_620363684663952_1730198188_o

Mount Taishan

Monte Tai – Situado a sul da cidade de Jinan, no centro da província de Shandong, China, o Monte Tai (chinês: 泰山, pinyin: Tài Shān) estende-se por mais de 200 km na direção leste-oeste com uma superfície de 426 km². No leste da planície do Huabei, o pico do Monte Tai, Yuhuangding, apesar de ter uma altitude de apenas 1545 metros, sobressai, entretanto, das baixas colinas e planícies que se encontram a seu redor num raio de várias centenas de quilômetros quadrados.

É uma das Montanhas Sagradas da China, sendo considerada a mais sagrada de todas, e associada ao nascimento e renovação por ser a mais oriental.

 Foi um local de peregrinação imperial durante quase dois mil anos, e as obras-primas artísticas contidas lá estão em harmonia perfeita com a paisagem natural. Sempre foi uma fonte de inspiração aos artistas e estudantes chineses e simbolizou as antigas civilizações e crenças chinesas.

1115939_620961087937545_1800385030_o

1077237_620961187937535_1028248154_o

971401_620961121270875_529607554_n

47732_620961027937551_1843418306_n

Peking Man

Homem de PequimO Museu das Ruínas de Zhoukoudian ou Choukoutien é um sistema de cavernas em Pequim (Beijing), China. O local rendeu muitas descobertas arqueológicas, incluindo uma das primeiras espécies de ‘Homo erectus’, apelidado de ‘Homem de Pequim’, e o incrível conjunto de ossos da hiena gigante, ‘Pachycrocuta brevirostris’. O Homem de Pequim viveu nesta caverna cerca de 750.000 a 200.000 anos atrás.

O lugar foi descoberto por Johan Gunnar Andersson (geólogo sueco) em 1921 e foi escavado pela primeira vez por Otto Zdansky (paleontólogo austríaco) em 1921. Em 1923 encontraram dois dentes humanos. Estes foram mais tarde identificados por Davidson Black, como pertencente a uma espécie previamente desconhecida e extensas escavações seguiram.

Fissuras na pedra calcária contendo depósitos do Pleistoceno Médio mostraram os restos de cerca de 45 indivíduos, bem como restos de animais, flocos de pedras e ferramentas de cortar. O mais antigo é de 750.000 anos de idade.

No final de 1941, cinco crânios humanos assim como outras amostras perderam-se misteriosamente no processo de transladação e não há notícias até hoje. O Museu das Ruínas de Zhoukoudian reserva atualmente apenas um único crânio humano antigo. Este foi recuperado com vários pedaços de ossos, que pertenciam a um mesmo indivíduo, mas escavados em diferentes períodos.

Depois da fundação da República Popular da China, em 1949, realizaram-se várias escavações em Zhoukoudian. Elas obtiveram fósseis de ossos de face, membros e dentes, representando mais de 40 homens de Pequim, além de 100 mil peças de pedra acabadas ou semiacabadas, peças de osso e peças de chifre, bem como fósseis de mais de 100 espécies de animais e os vestígios do uso de fogo.

Foi declarado pela UNESCO como patrimônio da humanidade em 1987 também.

1005235_621476921219295_1710966555_n

543804_621477071219280_114917399_n

944764_621477004552620_1020997885_n

Zái Jiàn!

ET: não esqueçam que para concorrer ao calendário do blog ‘China na minha vida’, você precisa deixar um recado no post de aniversário nesse link durante o mês de setembro/2013. Partcipe!

Anúncios

2 pensamentos sobre “Patrimonios da Humanidade na China – UNESCO 2

  1. Pingback: As Montanhas Sagradas da China | China na minha vida

  2. são fantásticos os monumentos!………que maravilha
    é o planeta, desde o seu inicio até os dias de hoje!
    maravilha a evolução do homem e suas conquistas!…..
    adorei a matéria!
    ……………………..beijão para vc e familia!

    Curtir

Gostou do texto, tem algo para dividir? Deixe seu comentário aqui! =]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s