Blog/Cenas da China real/China/Cultura Chinesa/Curiosidades/Viagens/viver na China

Golpes com turistas: na China também tem…-

Quantos de nós em viagens de férias ou negócios não caímos nas mãos de algum ‘esperto’ que tenta (e na maioria das vezes consegue) levar vantagem em cima do turista que não conhece a cidade? Isso já me aconteceu no nordeste do Brasil, nos EUA, na França. É aquele motorista de taxi que se aproveita da nossa falta de conhecimento geográfico e fica dando voltas para ganhar mais um trocado, o guia de rua que promete nos mostrar a cidade, mas no final só nos leva em locais onde ele tem como ganhar alguma coisa e assim vai.

E isso também têm na China… Claro que têm! Afinal, chego a conclusão que ‘espertos’ existem em todo o lado, no mundo inteiro. E aqui na China eles tem uma grande vantagem: reconhecem suas vítimas na primeira olhada. Um estrangeiro jamais passa despercebido aqui. Fato. Além do famoso taxista que roda horas em torno da mesma quadra ( esse é o golpe mais globalizado que existe ), cada lugar do mundo tem suas peculiaridades que facilitam a atuação de seus espertos de plantão.

Na China um dos golpes mais comuns, depois do taxista, é o da cerimônia do chá. Depois desses vem o da casa de massagens e o da bicicleta taxi, mais conhecido pelos laowais como tuc-tuc.

O da cerimônia do chá funciona basicamente assim: o estrangeiro está andando por algum ponto bem movimentado da cidade, aí chega um ou dois chineses super solícitos e simpáticos, e abordam a pessoa perguntando se está gostando da China, de que pais é, se vai ficar muito tempo. E diz que gostam de conversar com os estrangeiros pois é uma excelente oportunidade de melhorar seu inglês (já existem os que treinam o espanhol, o italiano e outras línguas também).

Depois de alguns minutos, perguntam se podem acompanhar a pessoa na caminhada e assim ir ‘praticando’ mais um pouco. Normalmente ninguém se incomoda, afinal não deixa de ser uma experiência interessante conversar com um local e saber um pouco mais dessa cultura. E mesmo que a pessoa não queira saber, eles habilidosamente conduzem a conversa pela cultura chinesa até chegar no tema “chá’, o que se estando na China onde o chá e consumido por 100% da população, não é nada difícil.

Chinese-Tea-Ceremony1-700x325

Claro que nesse momento eles já sabem qual a real situação da vítima no pais e há quanto tempo ela está aqui, informação importante para o sucesso da ação. E então fazem a pergunta crucial: você já participou de uma cerimônia do chá? Pense comigo: você é turista, ou recém chegado no pais, achando tudo no mínimo diferente, e cheio de curiosidade sobre essa bebida com tanto significado para o povo chinês, e não tem nem ideia de como funciona essa tal cerimônia, claro que tem vontade de conhecer.

Pronto, estão com a faca e o queijo na mão! E eles, como se fosse a coisa mais natural do mundo, te falam que por sorte vocês estão super perto de uma autêntica casa de chá, e se quiserem podem desfrutar dessa experiência com eles, pois lá ninguém fala outra língua senão o mandarim. E as pessoas vão.

A tal casa de chá, geralmente é pequena, uma portinha escondida em alguma rua lateral. Eles entram pedem chás, uma moça vestida em seu qipao, mostra graciosamente todo o ritual (que realmente é muito interessante) e o turista maravilhado, vai aceitando todos os tipos de chá que lhe oferecem. De repente, seu anfitrião diz que vai ao banheiro (pois em 90% dos casos, somente um chinês entra com o estrangeiro), e some. Passados uns 10 minutos, vem a chinesinha com a conta do chá… Algo em torno de 5000 remembies, dependendo do local ou da cara do freguês. Já escutei histórias de menos, mas já ouvi de valores absurdamente maiores. A pessoa tenta se comunicar, mas a chinesa não fala nada além do mandarim, dá aquele desespero, aí aparecem um ou dois chineses donos do local, e no final pode-se tentar uma negociação, mas nunca se sai dali sem ser lesado de uma quantia substancial. Nesse momento a pessoa já está em pânico e com vontade de sumir.

O golpe da casa de massagem é mais ou menos no mesmo molde, mas as vítimas quase sempre são homens sozinhos (faz todo o sentido). Há um ano atrás ouvimos a história de um alemão que ficou tão traumatizado que, segundo os comentários, saiu do local, foi ao hotel, jogou as coisas na mala e partiu para o aeroporto. De lá ligou para alguém da empresa e contou o que houve para bloquearem o cartão de crédito no nome dele. Não sei se foi exatamente isso que ocorreu, mas essa história foi bastante comentada entre a comunidade de estrangeiros.

tuina

O do ‘tuc-tuc’ acontece, quando as pessoas estão esperando um taxi, aí chega aquele chinês simpático com a sua bicicleta ‘charrete’, podemos dizer, e te fala que custa 30 remembie para te levar até o ponto turístico. O grupo de 3 ou 4 pessoas entram, afinal quer coisa mais pitoresca do que essa experiência? Só que o motorista vai por umas ruazinhas paralelas, com a desculpa que não pode circular pelas principais com aquele veículo. No meio do nada, de onde se pode avistar o destino final muito ao longe, ele para e diz que não pode passar dali, aí quando se tenta pagar os 30, ele diz que entenderam errado: ele havia dito 300 remembies. As pessoas tentam argumentar, mas de repente aparecem alguns ‘amigos’ do motorista e se você tiver juízo, paga o que eles pediram e saí daquele beco o mais rápido possível. Essa história aconteceu recentemente com amigos próximos, em Beijing.

Estes é um tipo de 'tuc-tuc'.

Estes é um tipo de ‘tuc-tuc’.

celular 042

O da casa de chá aconteceu com outra brasileira que chegou aqui há um mês e ela relatou no blog dela, se quiser conferir clique aqui.

Só para finalizar, o objetivo desse post foi alertar as pessoas sobre esses golpes, que ouço falar deles desde que pisamos na China pela primeira vez, em 2004. Mas mesmo assim ainda vemos muitas pessoas, que na ânsia de aproveitar ao máximo a sua estadia aqui e no deslumbre que a China provoca em todos, acabam por se deixar levar.

Mas tanto o ritual do chá, como as casas de massagens são coisas que merecem ser vistas e vivenciadas se você está desse lado mundo. Existem muitos estabelecimentos sérios e que lhe proporcionarão experiências inesquecíveis. Mas procure locais indicados por conhecidos, ou pelo hotel onde se hospedar, ou casas que tenham o preço claro e aparência confiável.

Sites como o ‘tripadvisor’ ou o ‘lonely planet’, geralmente mostram dicas e avaliações de outros viajantes e podem ser um ótimo aliado.

E sabendo do ‘perigo’ a gente acaba ficando mais cuidadoso com as ‘ofertas de ajuda espontâneas’ rs!

De resto, é só aproveitar as coisas boas que a China pode oferecer…

Zài Jiàn!

Anúncios

27 pensamentos sobre “Golpes com turistas: na China também tem…-

  1. Republicou isso em China na minha vidae comentado:

    Essa semana postei no Facebook uma foto minha e do meu sobrinho num tuk tuk em Beijing, só para registrar que QUASE entramos numa fria, mesmo já tendo escrito várias vezes sobre esses ‘golpes’ no blog.
    Só não caímos de verdade, pois estranhei o caminho que ele estava fazendo (afinal, já fui várias vezes a Beijing), na hora deu o ‘click’: esse cara vai nos levar para o beco. Separei o dinheiro que havíamos combinado (RMB 30,00) e avisei o Henrique que assim que o tuk tuk parasse era para sair e ir em frente.
    Dito e feito, quando viramos numa rua, olhei a frente e vi que estávamos entrando no tal beco aparentemente sem saída. Mostrei para meu sobrinho para onde iríamos assim que o veiculo parasse.
    Entreguei o dinheiro e o motorista disse que não era 30, e sim 300 remenbies. Com meu parco mandarim, disse a ele que eu não era turista, que vivia na China há 12 anos e ele que ficasse com aquilo (que era justo). Virei as costas e saimos andando rápido!
    O cara ficou gritando, mas como agimos muito rápido, ele não teve tempo de chamar os ‘colegas’ e nos encurralar no beco (que tem saída, sim).
    E nessa postagem, algumas pessoas me perguntaram sobre esse tipo de problema por aqui. Então resolvi repostar esse artigo que realmente é muito importante para quem vem a turismo principalmente. Quem vive aqui, já está mais acostumado, tem mais informação junto à comunidade que vive no país.
    Vale à pena conferir o artigo e prestar atenção nos sinais. As atividades mais comuns são com os tuk tuks, cerimônias do chá e massagem.
    #ficaadica

    Curtir

  2. Oi, Christine

    Fiquei CHOCADA com a história da Claudia! Mesmo já tendo algum tempo do acontecido.

    Eu já tinha lido sobre esses golpes (especialmente da cerimônia do chá) antes de irmos, mas MESMO ASSIM quase caímos num golpe! Foi por um triz.

    Um trio nos pediu para bater uma foto deles na People’s Square. Após a foto, começaram a andar conosco e falaram de um “festival de chá”. Na hora, a palavra festival me remeteu a algo festivo, no meio da rua, e lá fomos nós.

    Após algumas quadras e curvas, quiseram que entrássemos numa portinha para a tal cerimônia. Como já estávamos meio alertas, demos meia volta e nos desvencilhamos a tempo.

    Isso Eh para mostrar que mesmo a gente sabendo que existe o golpe, os mslandros sabem como nos ludibriar!

    Com taxistas, quiseram nos enganar em Xian. Já sabíamos que o hostel não era longe da estação de trem, mas tínhamos sacolas e procurávamos um taxi. Quando mostrávamos o endereço, abriam a porta do carro e falavam “60 yuan. Com custo encontramos um honesto e, no fim, a corrida deu uns 12…

    Espertalhões estão por toda parte!
    Taxi no Rio de Janeiro, por ex, pode dar bastante dor de cabeça…

    Curtir

  3. Pingback: Shanghai – dicas para facilitar a vida do turista (4) | China na minha vida

  4. Graças a Deus nunca cai nesses golpes. Sou muuuito desconfiada e não dou conversa na rua para quem não conheço. E eu estou sozinha na China. Já tentaram puxar assunto em atrações turísticas como a Cidade Proibida, mas sou curta e grossa. Falo que moro na China e eles deduzem que já conheço os golpes, não sou turista ou estou a pouco tempo no país. Sei que há um golpe para levar a pessoa para exposição de arte, a pessoa diz que é estudante… Cuidado gente. Mau caratismo tem em todos os lugares. Moro em Changchun e aqui não escutei sobre isso. Talvez por ser uma cidade universitária e com muitos estrangeiros.

    Curtir

    • Na realidade Tatiana, isso acontece muito nas cidades turísticas como Beijing, Shanghai, Xi’an. Chang Chun, vamos combinar que turismo não é o forte…rs Abraço e obrigada pelas dicas. Essa das exposições de arte tem muito dentro da cidade proibida. Mas ainda é fácil de você sair ileso… Só não comprar. Já visitei uma. E o papo é exatamente esse. Lá dentro eles tentam te vender seu nome em caligrafia ou uma obra super ‘especial’…rs
      Beijo

      Curtir

  5. Ahhhh como eu gostaria de ter lido isso antes…!! Caí no golpe da cerimônia do chá ontem… Passei hoje o dia todo trancada no quarto do hotel chorando, quase fiz as malas pra ir embora…
    Umas chinesas simpáticas me abordaram perguntando “de onde você é?” E coisas do tipo. Me convidaram pra tomar chá, eu achei que seria interessante ter a experiência de ir a uma casa de chá com pessoas locais…
    O casa de chá era meio espelunca, bonitinha mas meio suja (até aí nada demais pros padrões chineses). Eu quis tirar uma foto mas me disseram que como o lugar era budista não podia, e nem delas, um papo sem pé nem cabeça de que a fotografia rouba a alma… vai saber… Serviram uns bules de chá comum em uma tigelinha de vidro vagabundo, nada de porcelana ou coisa chique. Dali a pouco apareceu uma garrafa de vinho. Brindamos, conversamos, me ensinaram umas palavras em chinês, eu ensinei algumas em português. Quando veio a conta eu abri a carteira e peguei o cartão de crédito pensando em dividir, e elas disseram: “ahhh que gentil, você vai pagar a conta?”. Fiquei numa situação chata que não dava pra dizer que a idéia era dividir…
    Me mostraram a conta, eu vi que estava dando em torno de 30 euros, beleza, caro mas nenhum absurdo. Passei o cartão de crédito na maquininha e digitei minha senha – sem olhar o valor que estava no visor… Não me deram nenhum comprovante da operação.
    Até aí eu estava achando que tava tudo normal.Dali fomos até a Tiananmen Square e depois no mercado antigo, tudo perto. Eu visitei uma loja de seda, outra de produtos medicinais chineses, depois elas resolveram entrar em um Karaoke. Não é a minha praia mas pensei que seria mais uma experiência interessante pra contar…
    Pedi uma cerveja, elas botaram lá as músicas, pediram dois potinhos de salgadinhos, mais chá, e dali a pouco veio outra garrafa de vinho. Cantamos, dançamos, foi divertido. Veio a conta e eu dessa vez fiquei esperando. Uma delas perguntou se podíamos dividir por dois. Eu disse que ok. Ela fez que estava conferindo a conta, eu nem olhei direito e entreguei o cartão. Botei a senha e resolvi pedir o comprovante: 4980 yuans. Eu olhei aquele valor e me pareceu surreal, fiquei uns minutos tentando fazer a conta de quanto seriam 4980 yuans… Pois é, 800 dólares. Eu virei pras chinesas e comecei a gritar: “vocês ficaram malucas? Como que a conta pode ter chegado nesse valor??? Eu não posso arcar com essa despesa”
    Elas então me disseram que o vinho que elas tinham pedido era um vinho importado especial, mas que ok, que então a gente dividia podia dividir em 4. Meio contrariada ainda eu concordei, e aí eu tava tão nervosa que nem tava pensando direito. Voltamos lá no caixa e a moça passou meu cartão outra vez pra fazer o estorno do valor, me deu um comprovante dizendo que tinha estornado mas não dava pra saber, eu não leio caracteres chineses!!!
    Passei o cartão mais uma vez, com outro valor que elas disseram que seria um quarto. Eu sem condições de fazer conta direito, nem era 1/4 da conta, era muito mais.
    Enfim, de lá eu tinha comprado um bilhete pra ver um show acrobático, depois voltei pro hotel, jantei e fui pra cama. Botei a cabeça no travesseiro, comecei a pensar e resolvi ligar no banco. Falei com o atendente e os lançamentos foram (mais ou menos): 500, 800 e 600 dólares. Disseram que não podem estornar pq eu botei a senha…
    Tirei o pijama, me vesti e desci na recepção do hotel e pedi que chamassem a policia. Depois de muito blá blá blá disseram que não ia adiantar nada, que eu não tinha nenhuma prova, fotografia das estelionatárias, comprovação da compra, nada… Que era melhor deixar pra lá…

    Curtir

    • Oi Claudia,
      que chato isso. Se te consola vc não é a Única e as pessoas vem para cá achando que o chinês é simpático e nunca via enganar a gente, que a violencia não existe.
      Mas em todo local onde o turismo é forte, existem os ‘espertos’ de plantão… infelizmente.
      Vou deixar esse seu depoimento aqui para que com isso a gente possa ajudar mais pessoas…
      Abraço e espero que essa sua experiencia não te faça desistir da China!

      Curtir

      • Obrigada Christine!
        Não vou desistir da China não…!! E tenho certeza de que ainda vou ter excelentes experiências aqui… Basta ficar mais atenta!
        E agora olhando pra trás estou aliviada que tenha sido somente dinheiro, poderiam ter me dopado e feito algo muito pior comigo…
        Excelente o seu blog!

        Curtir

  6. Oi Christine.
    Essas coisas acontecem em qualquer lugar mesmo. Eu e a minha namorada caímos no golpe do riquixá, em Beijing, nos arredores do Templo do Céu. Mas dei uma de brabo, não paguei o que o cara queria e ainda fiz o maior escarcéu no meio da rua a ponto do cara querer logo se livrar da gente. Aliás, acho que a melhor coisa que podemos fazer (além de evitar dar muito papo para estranhos que nos abordam na rua, é claro) é não demonstrar medo quando fica claro que alguma coisa está errada. Em geral, esses caras são só espertalhões, não são verdadeiramente perigosos a ponto de nos machucar ou matar. Conto tudo neste post do meu blog: http://meusplanosdeviagem.wordpress.com/2011/07/31/wangfujing-templo-do-ceu-e-a-praca-da-paz-celestial/
    Uma coisa é certa: riquixá nunca mais! Em nenhum lugar do mundo! Primeira e única vez!
    Abraço

    Curtir

    • Eu concordo com vc Arnóbio. Em qualquer lugar do mundo esses caras são oportunistas de plantão. Mas se vc está com seus pais de mais idade ou com crianças é bem complicado manter a cabeça fria e enfrentar os caras….rs
      Obrigada pelo comentário.

      Curtir

  7. Oi Chris, passamos pela experiência com o tuc-tuc em Beijing, na cidade proibida. Muito ruim mesmo a situação e nós com 4 crianças juntos, bem desagradável.

    Curtir

  8. É Chris, safadeza existe em tudo que é canto desse planeta, infelizmente. Já viajei bastante mas nunca caí em golpes tão ousados como esses que você conta. Na úlitma viagem que fiz, recebi como troco, uma nota falsa de 20 euros, em Paris, e só percebi – fui avisada – quando fui passá-la adiante. Quase morro de vergonha. Grata pelo alerta e golpes! bjs

    Curtir

  9. Isso aconteceu comigo em Beijing, a situação do chá.. é muito chato, um sentimento de impotencia horrivel, acabei de por não visitar a cidade proibida e fiquei com o dia estragado! Cuidado pessoal!

    Curtir

  10. Sempre é bom alertar né! Fui vitima e espero que minha experiência ajude outras pessoas a não passarem pelo que passei! Abraços e boa curtição no nosso lindo Brasil!!!
    bjocas
    Vanvan

    Curtir

  11. Oi Chris, adorei seu post. Foi muito esclarecedor… Estou embarcando para a China no final dessa semana. Vou ficar atenta… rs…
    Beijos

    Curtir

Gostou do texto, tem algo para dividir? Deixe seu comentário aqui! =]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s