China/Cultura Chinesa/Curiosidades/Viagens/viver na China

Parte 2 – Nanjing – A China antiga e moderna no mesmo local.

Bom, voltando de onde paramos no último artigo, a viagem a Nanjing continua…

Terceiro dia

Esse foi o dia que tivemos guia e carro. E aproveitamos bastante. Visitamos 4 locais.

Os dois primeiros ficam na ‘Purple Mountain’. O interessante, que faz até menção ao título que dei ao artigo, na mesma montanha há o mausoléu de um antigo Imperador, Xiaoling,  e também o mausoléu de um ícone da história moderna da China, de final do século 19, inicio do 20 – Sun Yat-sen.

Mausoléu Xiaoling – Dinastia Ming

É a sepultura conjunta do primeiro imperador da Dinastia Ming, Zhu Yuanzhang, e sua rainha. Ele representa a arquitetura e artes em escultura de pedra da dinastia Ming, e afetou a construção de túmulos nas seguintes dinastias. A construção do mausoléu começou em 1383, e a estrutura tem mais do que uma história de 600 anos.

O mausoléu é cercado por um muro de pedra de 45 km.

Para a proteção do túmulo  há um caminho de 1800 metros nos jardins, onde os animais estão enfileirados em pares, frente a frente. Cada animal é representado por dois pares, um em pé e outro deitado, pois enquanto um casal está de guarda o outro descansa. Além dos animais, existem as colunas decorativas no estilo da época e 2 ministros e 2 generais de pedra também. Eles seriam os oficiais que acompanhariam o imperador.

Além disso, cada animal tem um significado auspicioso (chinês adora essa palavras), entre eles:  os leões, rei dos animais, mostram a imponência dos imperadores; os camelos, símbolo de áreas desérticas e tropicais, indicam o vasto território da dinastia; os elefantes implica que as políticas da dinastia são para atender o desejo do povo e da estabilização da dinastia.

Uma outra curiosidade é que apesar de toda imponência da construção, o túmulo de fato do Imperador, está no meio de um bosque e ninguém sabe ao certo o local exato. Vai entender…

O Mausoléu Xiaoling é famoso por seu design único, a sua beleza impressionante e sua escala magnífica. É o marco no desenvolvimento histórico de mausoléus chineses. É listado pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade, dentro do grupo dos “Túmulos imperiais das dinastias Ming e Qing”.

Mausoléu de Sun Yat-sen (Zhongshan Ling)

Sun Yat-Sen (1866-1925) foi, provavelmente, a figura política mais importante e revolucionário na China por volta da virada do século 20. Um de seus legados foi a publicação de sua filosofia política chamados os “Três Princípios”: nacionalismo, democracia e o povo. Ele disse que seus três princípios foram inspirados por Abraham Lincoln. Dizem que compreender a sua vida e influência vai ajudar as pessoas a compreender a China moderna e Taiwan.

Ele nasceu na província de Guangdong, estudou nos Estados Unidos e se formou em medicina em Hong Kong. Embora fosse um médico, a mudança política, social e religiosa era o objetivo principal de sua vida. Morreu em 1925, em Beijing. Mas antes de morrer, repetiu seu desejo de muito tempo: “Eu desejo que depois da minha morte ser enterrado ao pé da Montanha Púrpura em Nanjing, porque Nanjing foi onde o Governo provincial da República da China foi estabelecido, e nós nunca devemos nos esquecer da Revolução de 1911.”

O mausoléu é muito grande e para chegar a ele, temos que subir uma escada de mais de 350 degraus. No inicio da subida os degraus são largos, mas a medida que vamos chegando ao Mausoléu, os degraus vão se estreitando e, segundo nosso guia, é para mostrar que finalizar um objetivo é mais difícil do que começar. E esse conceito foi baseado na filosofia de Sun Yat-Sen.

Foi construído entre 1926 e 1929. No centro do salão há um estátua dele 4,6 metros de altura (que não pode ser fotografada), e um sarcófago de mármore branco. O mausoléu foi construído pelo governo da República da China. Em 1929, seu corpo foi levado para lá. E foi preservado durante a Revolução Cultural devido ao respeito que há pela sua figura e a influência de sua viúva que lutou para manter o Mausoléu intacto.

Zhonghua Gate – 中華門 – Zhōnghuámén

É o portão sul da muralha de Nanjing, uma relíquia cultural preciosa nas tradições militares e arquitetônicos da China.

Sua construção levou 21 anos (1366 a 1387). O portão, originalmente chamado de “Gate of Gathering Treasure” (em tradução livre, portal da coleta de tesouros)  carrega uma lenda desde o momento da sua criação no início da dinastia Ming: Wen Zhu Yuanzhang, o primeiro imperador da Dinastia Ming (1368-1644), construíu o portão, mas ele desabou. O portão foi reconstruído várias vezes e desabou várias vezes. Mas nunca o  tesouro que foi guardado no subsolo foi afetado. Em 1931, para comemorar a revolução de 1911 e da República da China (1919-1949), que surgiu como resultado, o Portão foi renomeado para Zhonghua Gate.

Nanjing foi a capital da China durante a Dinastia Ming sob o reinado do imperador Zhu Yuanzhang. Zhu Di, o filho de Zhu Yuanzhang, mudou a capital para Pequim em 1420. Em 1366, Zhu Yuanzhang começou a construir um muro ao redor da cidade de Nanjing para defendê-la de um ataque.

O mais grandioso entre os treze portões da muralha, era uma estrutura de arquitetura complexa composta por três pátios fechados e quatro portas em arco que serve como entrada. Haviam portas de madeira com painéis duplos, e com a opção de portas de pedra que ficavam suspensas. Se o inimigo derrubasse as portas de madeira, eles poderiam baixar a de pedra e mantê-los presos nos três pátios fechados.

Vinte e sete túneis foram construídos para armazenar grandes quantidades de comida e armas e abrigar cerca de 3000 soldados. Toda a estrutura foi construída com tijolos maciços juntamente com cimento especial feito de suco de limão, arroz e óleo. A fim de garantir a qualidade da construção, cada tijolo passou por um processo de rigoroso controle de qualidade. Os fabricantes de tijolos e construtores foram obrigados a marcar seus nomes em cada tijolo. Ainda hoje, é possível encontrar caracteres chineses e números sobre os tijolos. Se algum tijolo quebrasse, sabiam quem era o responsável… ui!

O último lugar que visitamos foi o Memorial das Vítimas do Massacre, mas esse vou deixar para o próximo capítulo. Desde que comecei a escrever sobre Nanjing, havia decidido que fariam um artigo especial para esse local tão lindo e marcante, e ao mesmo tempo triste e cheio emoção.

E Nanjing está rendendo…rs

Zái Jián!

Anúncios

16 pensamentos sobre “Parte 2 – Nanjing – A China antiga e moderna no mesmo local.

  1. Oi Cris, vou te chamar de Cris porque já sinto que te conheço pelos seus posts e por pessoas próximas que me falam tão bem de você. Primeiro parabéns pelo blog, eu e meu marido somos leitores convictos dos seus posts. Vamos para Nanjing no feriado do dia 17 e minha amiga Daniele Pedroza me indicou seu post para fazer o roteiro. Sua postagem é tão rica em detalhes que já me imagino passando pelos lugares e rotas. Muito obrigada pelas informações, admiro seu trabalho e espero um dia te conhece pessoalmente aqui em Shanghai. Grande abraço

    Curtir

    • Olá Gleice.
      Que delícia ser seu comentário. Muito obrigada, de coração! Espero que aproveite sua estada em Nanjing, eu amei a cidade.
      E com certeza vamos nos encontrar para um almoço ou café, em breve!
      Grande abraço.

      Curtir

  2. Ola Christine
    Ni Hao, Ni hao.
    Gostaria de lhe indicar uma outra opção de restaurante nesta cidade, que de fato sou um apaixonado por ela, é o Nanjing Impressions:
    Nanjing Impressions Restaurant (Deji Plaza)
    7/F, Deji Shopping Mall Phase 1, No.18 Zhongshan Road, Xuanwu District, Nanjing, China
    Comida tradicional chinesa, o restaurante em todos os aspectos remetem a China dinástica, com todos os quesitos (decoração externa e interna), barulhento, maitre gritando a cada cliente que chega, os garcons respondendo, super atenciosos, pacientes, para te explicar os diversos pratos, ainda mais se o estrangeiro ocidental falar chines, se tiver sorte ainda tem show com musica tradicional antiga chinesa, tem salas reservadas ou box tipo baias, mas o mais legal e gostoso é na “muvuca” do salão principal, adorei desde a primeira vez que fui e todas as vezes que estou lá, levamos os nossos amigos chineses e brasileiros, todos os amigos brasileiros que estiveram lá simplesmente adoraram.
    Uma coisa, é barulhento, uma particularidade do chines, mas é muito gostoso, a comida então, é saborosa e os pratos são decorados com ricos detalhes, a louça também, não me lembro os nomes, mas segue algumas opções que eu particularmente gostei muito, tem uma sopa com uma bola de carne de porco, dumpplin de carne de pato/ganso, um prato doce com ameixas tipo um doce em calda, enfim, gostei de todos os que experimentei.
    Só tem um inconveniente, fica lotado, mas muito lotado mesmo, com fila de espera grande, o melhor é marcar hora e depois se deliciar, …sai “rolando” de lá…rsrsrsrs.
    De fato, concordo com você, sou um apaixonado por Nanjing.
    O restaurante fica próximo ao Xuanwu Hotel, num shopping bastante bonito e
    moderno.
    Divirtam-se…
    Abraço
    Ramon

    Curtir

  3. Ai que tudo!!!Eu viajo nas suas palavras ,até sinto como se estive visitando o local também ..muito bom,estou ansiosa pelo desfecho da viagem 😘😘

    Curtido por 1 pessoa

Gostou do texto, tem algo para dividir? Deixe seu comentário aqui! =]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s