Blog/China/Viagens/viver na China

MAGLEV

Domingo fui até o aeroporto internacional levar meus primos, mas meia hora antes de sair, o motorista liga dizendo que o carro quebrou e naquela hora (6:30 da manhã) não tinha como ele ir até a companhia para pegar outro carro. Então fomos de taxi, já que achei melhor acompanhá-los até o embarque.

 maglev1

Na hora de voltar lembramos do Maglev, que é a abreviação de ‘MAGnetic LEVitation Train’, no bom português ‘trem de levitação magnética’.

Eu nunca havia andado nesse trem, por dois motivos básicos: o primeiro é que sempre que saio e, principalmente, quando chego a Shanghai venho carregada de malas. Fato que iria dificultar um pouco minha locomoção. E segundo porque acho que esse trem vai de nada a lugar nenhum! Deixa eu explicar: ele sai do aeroporto internacional em Pudong para um percurso de 30km, que irá te deixar numa estação com conexão para as linhas 2 e 7 do metro. Mas dentro do aeroporto há uma estação da linha 2 e esses 30km, te levam há um ponto de Pudong que continua distante de tudo. Ou seja, enquanto a linha não for ampliada, não vejo muita utilidade nela além de colocar a China em mais algumas listas de recordes do mundo.

Agora a tecnologia empregada é, no mínimo, de nos deixar de queixo caído! A velocidade máxima alcançada hoje é 431km por hora em 7min e 20 seg. de trajeto. Impressionante.

Só para esclarecer: a primeira foto eu tirei quando entrei no trem. Não foi exatamente na hora que ele saiu.

 maglev

Segundo meu engenheiro particular, o ‘trilho’ é feito de imãs fixados no concreto que são energizados. O trem e o trilho possuem os imãs com a mesma polaridade, que faz com que os dois corpos se repelem. Nessa hora o trem, literalmente levita. Depois disso entra em ação outro conjunto de imãs que vão trocando a polaridade, fazendo o trem se mover.

Para mim, isso tudo é muito complicado, mas garanto para vocês que é impressionante mesmo. E dentro do trem a gente não sente a velocidade. O mais engraçado é quando ele começa a desacelerar e aí fica aquela sensação de ‘tartaruga’, mas quando olhamos o velocímetro, está marcando 240km/h.

Pelo que sei havia um projeto do trem alcançar locais mais centrais e com maior fluxo de passageiros, mas o custo dessa maquina do futuro, que foi de 18 milhões de dólares por quilometro, além dos protestos públicos sobre a radiação emitida pelo trem, fizeram o governo parar o projeto.

A idéia era que o Maglev ligasse os dois aeroportos internacionais de Shanghai em 15 min (distância de 50km) e também as cidades de Shanghai e Hangzhou.

Hoje essa linha Shanghai-Hangzhou, já funciona, mas com um trem de alta velocidade (high-speed railway), realizando a viagem em 45min.

Voltando ao meu passeio de domingo, quando chegamos na estação do ‘lugar nenhum’, pegamos o metro e em 1 hora estávamos em casa. J

Só para constar, de carro levamos 1:30, num domingo às 7 da matina, sem trânsito!

Zai Jián!

Anúncios

Um pensamento sobre “MAGLEV

  1. Pingback: Turismo em Shanghai de metro. | China na minha vida

Gostou do texto, tem algo para dividir? Deixe seu comentário aqui! =]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s