China/Cultura Chinesa/Curiosidades/Palestras e Assessoria intercultural/Viagens/viver na China

Os segredos da Cidade Proibida

Dias atrás recebi um pequeno vídeo pelo wechat, contando um ‘segredo’ sobre a construção da cidade proibida que foi veiculado pela ‘Lion Television’. Está em inglês, mas é bem simples de entender, até porque as imagens são bem claras sobre o tópico tratado: como as construções do Palácio Imperial chinês resistiram ao tempo, às guerras e aos desastres naturais.

Aqueles telhados maravilhosos que tanto admiro, fotografo e posto no Instagram, são uma tremenda obra de engenharia que proporciona aos prédios uma flexibilidade em suas colunas, Sendo assim, eles ‘flutuam’ num terremoto de escala 10!

Confiram aqui:

Claro, que com um título desse, lá fui eu atrás de mais informação. Afinal, essa palavra ‘segredo’ desperta em nós o instinto da curiosidade, não é mesmo?

Encontrei algumas informações bem interessantes, como as que listo abaixo:

Palácio Frio

Existia um local na Cidade Proibida denominado ‘palácio frio’, onde as concubinas residiam quando o imperador não as queria mais ou se elas cometessem crimes que não poderiam ser perdoados. No entanto,não existe nenhum lugar registrado com esse nome. Cada imperador decidia onde seria esse local dentro do complexo. Poderia ser um local que ele não gostava, que estava em desuso ou esquecido dentro do complexo.

Cartão de cabeça verde (绿 牌 – Lǜ tóupái)

Essa é uma tradução literal do mandarim, mas significa que os documentos que tinham uma borda verde, eram tratados de maneira diferente, seja pela importância, urgência ou conteúdo do mesmo. Eram chamadas de ‘cabeça verde’ os seguintes documentos:

  1. Aqueles que querem ver o imperador deviam ter seu currículo escritos num papel rosa. Os que tinham extremidades verdes eram de mais importância.
  2. A Dinastia Qing herdou o sistema da Dinastia Ming, o que significa que os funcionários atendiam a emergências ou que tinham informações muito detalhadas a serem relatadas, e seus relatórios ou sugestões eram entregues aos seis departamentos do governo (六 曹). Usavam para isso peças de madeira verde, nas quais os detalhes são resumidos.
  3. As peças que foram usadas para prender ou indignar criminosos durante a Dinastia Qing tinham suas extremidades pintadas de verde (chinês: 绿 头 签).
  4. Quando um imperador selecionava concubinas para si mesmo ou convocava suas concubinas para dormir com ele, usava as peças de cabeça verde. Isso geralmente se refere a ‘virar a peça’, numa tradução literal (chinês: 翻 牌子).

Foto de Xiawei @greatwallmylove

Concubinas

Vários casamentos em família foram realizados no Império chinês. Os casos mais comuns era do imperador casar com sobrinhas e tia e irmãs. O imperador Kangxi teve 4 concubinas da mesma família.

Na dinastia Qing, a hierarquia das concubinas estava dividida em 8 níveis, incluindo uma rainha, 2 concubinas importantes e muitas outras concubinas sem importância, que residiam nos 13 palácios da Cidade Proibida, com a rainha residente no palácio central.

Essa dinastia também não tinha regras de suas próprias concubinas de palácios. Naquela época, elas não tinham títulos oficiais elevados e todos eram chamados de Fujin (chinês: 福晋) ou Gege (chinês: 格格). As 16 esposas do imperador Nurhachi foram chamadas Fujin. No entanto, essa tradição foi alterada depois que o imperador Kang criou uma nova série de regras para conferir concubinas.

Imperador solitário

A vida do imperador era bem solitária. Ele fazia sozinho as duas refeições principais e os dois lanches servidos ao dia. Geralmente ele comia no palácio ou escritório que dormia. Sem a sua  ordem expressa, ninguém tinha permissão para jantar com ele. Além disso, suas concubinas não podiam dormir a noite toda com o imperador.

Números

A Cidade Proibida é 10 vezes maior que o Vaticano.

Com cerca de 72 hectares, a Cidade Proibida é cercada por um fosso de dois metros de profundidade e 16 metros de largura e um muro vermelho de quase 10 metros de altura.

Seus 800 edifícios contêm 720.000 metros quadrados de espaço, com 150.000 metros quadrados construídos, possui 9.999 quartos (o número 9 representa longevidade), mas na verdade existem hoje em dia ‘apenas’ 8.707.

Suas câmaras e armazéns contêm 1.052.653 objetos raros e valiosos que nem sequer são exibidos.

A Cidade Proibida está atualmente no meio de um grande projeto de renovação que deverá ser concluído em 2020 para comemorar o 600º aniversário do complexo imperial.

A Cidade Proibida é a principal atração turística da China, atraindo mais de 7 milhões de visitantes por ano. Já teve registro de mais de 125 mil visitantes num só dia (acho que deve ter sido durante o Ano novo chinês, só acho…)

Eu já fiz parte dessa estatística várias vezes!

Muito mais história

E tem outros fatos interessantíssimos, que vou organizar e publicar aos poucos aqui. Apesar de já ter ido muitas vezes na Cidade Proibida, depois de ver o vídeo e ler alguns artigos, me deu vontade de voltar e rever tudo com outro olhar.

Agora, o mais interessante dessa minha busca foi que encontrei o documentário de onde aquela pequeno vídeo do inicio foi extraído. Ele tem 46 minutos de duração e é em inglês, mas vale muito à pena assistir. Fiquei maravilhada!

Assistam que vale à pena!

 

E se quiserem saber mais como é a vida e a adaptação de uma família brasileira na China, não deixem de ler o livro que lancei em abril: China na minha vida – O que aprendi com o Dragão.

Está à venda na SBS Brooklin, na loja física ou on line, com entrega para todo o Brasil.

Anúncios

4 pensamentos sobre “Os segredos da Cidade Proibida

Gostou do texto, tem algo para dividir? Deixe seu comentário aqui! =]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s