China/Cultura Chinesa/Curiosidades/Viagens/viver na China

Yuanyang – Terraços de Arroz em Yunnan

Ainda temos uma coisa incontrolável chamada meteorologia, que ninguém descobriu como driblar quando o tempo resolve atrapalhar nossos planos e, muitas vezes, acabar com eles.

E foi isso que aconteceu nessa parte da viagem.

Eu sempre checando as previsões e teríamos uma semana inteira de sol, mas de uma hora para outra tudo mudou e o ícone de chuva pareceu nos dois dias que ficaríamos em Yuanyang para visitar os terraços de arroz.

Como esperança é a ultima que morre e, além de tudo, somos brasileiros e não desistimos nunca, esperamos até o último minuto para abortar nosso sonho de andar pelos lindos terraços de arroz. E, segundo todos os artigos que li, de novembro a março é a melhor época para visitá-los, quando os terraços estão realmente cobertos de água e brilham como espelhos em vários tons de prata e ouro, dependendo do sol.

A nossa expectativa

O que vimos ao acordar

A difícil decisão

Chegamos no hotel a noite, estava chovendo, mas como o tempo anda meio maluco, vai que no dia seguinte, teríamos uma trégua, não é? E olha que nem queríamos sol. Nossa esperança era que não houvesse chuva. O que já seria muito bom.

Para nossa decepção, amanheceu chovendo mais do que o dia anterior. E, do nosso terraço que dava de frente ao maior arrozal da região, só enxergávamos as nuvens cobrindo tudo. E a vista era essa da foto acima.

O hotel que ficamos era maravilhoso (mais uma super dica do Kewen), mas não oferecia nada de especial para se fazer num dia de chuva, pois ele está ali em função dos terraços.

Assim, decidimos tomar nosso café da manhã e como as previsões não eram nada animadoras, conseguimos cancelar a segunda diária e tomamos o rumo em direção do ponto seguinte: Pu’er.

O hotel em Yuangyuan

Vou deixar aqui registrado esse hotel, ONESS RESORT, pois realmente gostaria muito de ter ficado as duas noites que estavam nos planos para ele.

A comida deliciosa, chinesa com um toque contemporâneo, sem perder a identidade. Um local claro, tudo novo, e uma cama… que, segundo a Sofia, nos abraçava.

Além de tudo, o que mais me chamou atenção, foi que o logo do hotel é muito semelhante ao logo do blog. Me senti em casa.

A maratona que se seguiu

Como nada é tão simples, a estrada principal, pavimentada, estava fechada pois havia caído barreiras. Tivemos que seguir viagem pelas vicinais, nem sempre asfaltadas e com chuva foi bem tenso, por assim dizer.

Fora que nosso trajeto de 6 horas, levou 12. Isso mesmo: o dia que deveríamos estar perambulando pelos terraços de arroz e visitando as vilas da minoria étnica Hani, passamos dentro do carro, rezando para chegarmos ao nosso destino!

Por fim chegamos, sãs e salvas, apesar de mortas de cansaço pelas horas de tensão, de ficar sentada e da frustração dos nossos planos.

Como essa região fica perto das fronteiras do Vietnã e Myanmar, fomos paradas por comandos do exército nada mais, nada menos que 4 vezes. Mais tensão, né?

Nos demos de presente uma cerimônia do chá particular no novo hotel e paramos para olhar com calma as fotos que tiramos numa curva da estrada, onde conseguimos avistar os tão sonhados terraços de arroz.

Não foi o ideal, mas ao menos não podemos dizer que não vimos. Então agradecemos e seguimos em frente, já que a viagem ainda nem havia chegado a metade.

Sobre os Terraços de Arroz

Apesar de não termos visto de fato, já havia pesquisado sobre eles, então compartilho com vocês a informação. Quem sabe volto lá um dia!

Eles são uma obra-prima da engenhosidade do povo Hani por gerações.

Os ancestrais do povo Hani vieram para esta área montanhosa e íngreme há 2.500 anos atrás. Em sua luta contra o terreno difícil, eles estabeleceram com sucesso os terraços, onde cultivavam arroz para ganhar a vida.

A criatividade do povo Hani transformou esta área montanhosa em uma de beleza artística. Em reconhecimento, o imperador da Dinastia Ming (1368-1644) concedeu o título de ‘escultores habilidosos’ ao povo Hani e sua boa reputação foi passada de geração em geração.

Atualmente, conhecida como ‘escultura em terra’, os campos em terraços foram reconhecidos pela UNESCO como Patrimônio Cultural e Natural da Humanidade.

Os terraços Hani são magníficos e em grande escala. Eles se estendem a muitas cidades ao longo da margem sul do rio Vermelho, como Yuanyang, Lüchun e Jinping. Com uma área de mais de 113 quilômetros quadrados, o terraço no condado de Yuanyang é considerado como a área central, pois o município é montanhoso e os terraços construídos nas encostas têm uma inclinação que varia de 15 a 75 graus e sobem por 3.000 degraus formando uma paisagem que é rara.

Tantos terraços situados entre vastas florestas, criam uma vista mágica e magnífica.

E para completar, li num site de viagem: “Fazer um tour para Yuanyang no inverno é incrível, já que os campos estão cheios de água, compondo uma pintura colorida”. Só faltou completar: se não chover!

E vamos lá continuar nossa viagem em direção ao sul da China.

Próximo destino: Xishuangbanna.

Zái Jiàn!

Anúncios

3 pensamentos sobre “Yuanyang – Terraços de Arroz em Yunnan

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s