Blog/China/Cultura Chinesa/Curiosidades/Dicas de Shanghai/Filmes/Viagens/viver na China

O Bund em Shanghai – o que você precisa saber

Não há como falar de Shanghai e não citar o ‘Bund’. Por si só, já é um cartão postal da cidade, cheio de história e fatos interessantes, além de ser o melhor local para se apreciar a vista mais famosa de Shanghai: a skyline de Pudong, com suas torres: A Pearl Tower (ícone da cidade), Jinmao, SWFC e a Shanghai Tower, a mais nova das 4 torres.

O Bund tem muita história e as vezes as pessoas passeiam por seu calçadão e nem imaginam que ele foi construído para conter o avanço do solo arenoso (lodo ou mangue) que estava ‘engolindo’ a cidade.

Mas isso é só um fato isolado, afinal o charme do Bund, que deixou Shanghai conhecida como a Paris do Oriente, está presente em cada detalhe.

Vamos aos fatos:

  • O Bund está situado às margens do rio Huangpu. É, sem dúvida, um dos destinos turísticos mais famosos de Xangai.
  • Foi construído há 150 anos pelos ocidentais, na época fazia parte da Concessão Britânica. A arquitetura histórica do classicismo e do modernismo marca o símbolo de Shanghai.
  • O Bund é um termo anglo-indiano para o aterro da margem arenosa do rio Huangpu – em mandarim é chamado “Waitan”, e a avenida que separa os prédios históricos da margem do rio, chama-se Zhongshan Dong lu (Zhongshan Road East).
  • Entre 1920 (quando o problema do solo foi notado pela primeira vez) e 1965, a cidade de Shanghai afundou vários metros. A correção do problema envolveu o bombeamento de água de volta ao solo, mas a ameaça ‘veneziana’ ainda está lá. Até hoje as dragas trabalham incansavelmente pelo rio.
  • O Bund se estende 1,5km ao longo da margem do rio; começa na Yan’an Lu ao sul e termina na Ponte Waibaidu, ao norte, que atravessa o rio Suzhou (Suzhou Creek).

  • Arquiteturas como o Peace Hotel, a sede do HSBC, a alfândega, o Banco da China, a Câmara de Shanghai, entre outros, formam o complexo do Bund, que abriga 52 edifícios de vários estilos arquitetônicos, como o românico, o gótico, o renascentista, o barroco, o neoclássico e o art deco. Embora construídos em vários períodos de tempo, as cores combinam perfeitamente e os contornos estão em perfeita compatibilidade.
  • Os edifícios que reúnem o Bund são considerados o complexo arquitetônico internacional. Os exteriores são uma mistura solene de Chicago neoclássica dos anos 30. Para os europeus, o Bund era a ‘Wall Street’ de Xangai, e viu uma febre de comércio quando a fortuna da cidade aumentou e caiu com cada crise iminente. Os edifícios mudaram de função várias vezes, já que as crises obtiveram o melhor dos comerciantes, mas originalmente eram bancos, casas comerciais, hotéis, edifícios residenciais, edifícios comerciais e clubes. No meio do calçadão do Bund, há uma réplica da estátua do ‘Touro de Wall Street’, para não deixar dúvidas a sua fama!
  • No extremo noroeste do Bund, ficavam  os ‘Jardins Públicos Britânicos’ (agora Huangpu Park), onde os chineses não podiam entrar, durante a era colonial – um sinal na entrada dos regulamentos listados, incluía a proibição de chineses e cães do parque. Um guarda ‘sikh’ ficava no portão – parte da força indiana que os britânicos trouxeram para se proteger, depois do Insurreição dos Boxers, de 1900.
  • Em 2010 o calçadão foi ampliado e restaurado e o acesso a vendedores ambulantes regulamentado. Ainda assim, é o melhor local para se passear durante o dia. Cada horário tem sua peculiaridade: pela manhã, pode-se apreciar os praticantes de Taichi, a tarde as crianças com suas famílias brincando por toda a extensão e a noite a fabulosa vista dos edifícios iluminados. Claro que os turistas (estrangeiros e chineses) estão sempre indo e vindo com suas câmeras e tentando pegar o melhor ângulo tanto da skyline em Pudong, quando dos prédios do Bund.
  • A Alfândega (construída em 1927) ainda é uma alfândega, mas o toque do relógio agora toca “O Oriente é Vermelho” às 6 da manhã e às 6 da tarde.
  • Um exterior facilmente identificável pela cúpula no topo é o Banco de Hong Kong e Shanghai (HSBC), completado em 1921 com um  dos mais impressionantes tipos de granito na Ásia colonial. Hoje, o prédio do banco abriga o governo municipal de Shanghai.
  • Um prédio que se pode visitar é o Peace Hotel. Enquanto você atravessa as portas duplas, sobre a pavimentação de mármore, pode reviver um pouco do que foi a Shanghai dos anos 1920, conhecida como ‘Old Shanghai’, com seu glamour e o famoso ‘Shanghai Club’, formado por uma pequena elite de homens britânicos (somente eles poderiam se associar).

Curiosidades sobre o Bund nas artes

O Bund foi apresentado no romance ‘Empire of the Sun’ pelo autor britânico J.G. Ballard, com base em suas experiências de menino durante a invasão e ocupação japonesa. O livro foi transformado em um filme de Steven Spielberg.

As páginas iniciais da novela ‘Cryptonomicon’ de Neal Stephenson, se passam no Bund em 1941, à medida que a ordem civil colapsa sob a ameaça da invasão japonesa.

O Bund é cenário (e homenagem) da série de televisão de Hong Kong ‘The Bund’ (1980) e do filme ‘Shanghai Grand’ (1996). A história de ambos envolve bandos da era da Segunda Guerra Mundial, que eram rivais, para o controle do Bund.

“The Bund” é uma música composta pelo grupo de música eletrônica ‘The Shanghai Restoration Project’ lançado no primeiro lançamento homônimo do grupo, inspirado nas bandas de jazz de Shanghai dos anos 30. Uma versão instrumental da música intitulada “The Bund (Instrumental)” foi lançada em 2008 no álbum ‘Day-Night (Instrumentals)’ do mesmo grupo.

O Bund foi apresentado na primeira etapa da ‘The Amazing Race 21’.

O Bund é uma das etapas no jogo ‘The King of Fighters XIV’.

Como chegar

De metrô, linha 2 (verde). A estação mais próxima é East Nanjing Road, a cerca de cinco minutos a pé da Nanjing Road.

De taxi – Basta dizer ‘Yan’an Lu – waitan’, se fala ‘uaitan’. Mas melhor se tiver um endereço em mandarim, do Peace Hotel, por exemplo. Aí fica bem mais simples.

Se você estiver em Pudong, além dessas opções, pode-se atravessar de balsa, que sai do cais da Jinling Road, perto do extremo sul do Bund, até o cais da Dongchang Road, no extremo sul de Lujiazui, atravessando o rio. A tarifa total na balsa custa 2 RMB.

Agora vocês já podem visitar e apreciar com outro olhar esse lugar tão famoso da cidade!

Zài Jiàn!

E se quiser saber como é o dia a dia de quem vive na China,

não deixe de ler o livro China na minha vida – O que aprendi com o Dragão, que está à venda no Brasil, através desse link.

Anúncios

2 pensamentos sobre “O Bund em Shanghai – o que você precisa saber

  1. Muito bacana!
    Estou me preparando para ir pra Xangai visitar meu namorado e ando pesquisando bastante a respeito!
    A proposito, saberia me dizer se existe opção de algum curso em Xangai que eu possa fazer com duração de uma semana, sobre por exemplo, a cultura chinesa?
    Muito obrigada 🙂
    Bjs,

    Curtir

    • Olá Natália,
      Obrigada pela visita. Curso de uma semana em inglês é difícil. Mas tem um local chamado Community Center Shanghai, que além de cursos (geralmente de 4 a 8 semanas), de vez em quando oferece palestras, de somente um dia. Depende da época.
      Abraço.

      Curtir

Gostou do texto, tem algo para dividir? Deixe seu comentário aqui! =]

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s