China/Cultura Chinesa/Curiosidades/Livros/viver na China

Livro: “Meia Noite em Pequim”

Eu busco muito livros que contam a historia da China antiga e atual, a maioria relata a vida e os hábitos chineses desde a antiguidade até agora.

E assim encontrei esse por acaso, passando os olhos na estante da casa de um casal de amigos. Meus olhos não se enganam, vão como imãs quando tem algo voltado para o tema China. Logo peguei, folhei,  fui ler a orelha e saí com ele nas mãos.

Esse livro é sobre a China, mas com um foco diferente: mostra a vida dos estrangeiros que viviam no país no período conturbado entre o final do império e o inicio da República Popular da China, recheado pela invasão japonesa e a Segunda Guerra Mundial.

“Meia-noite em Pequim”, um livro de Paul French.

É baseado numa historia real, o que me deixou mais animada ainda. Conta sobre um assassinato envolvendo a pequena e misteriosa comunidade estrangeira que vivia nessa época em Beijing e Tianjing (Pequim e Tientsin), além de citar Shanghai varias vezes.

Muitas intrigas, personalidades conflitantes, pessoas de quem não se sabia o passado e, muitas vezes vinham para o oriente em busca de anonimato, com intuito de esquecer a vida pregressa que tinham no ocidente. Existiam também muitos refugiados russos que nem sempre encontravam uma vida fácil por aqui, com falta de empregos e moradias,  obrigando-os a ocupar o submundo que se escondia atrás de uma linha muito tênue entre a China real e a bolha estrangeira. Havia um dito popular entre os estrangeiros (que em muitos casos se usa até hoje), mais ou menos assim: “o que se passa na China, fica na China” ou ainda, “o que se viveu fora da China, não importa na China”.

Então o tema é sobre a China, mas mostra mais a vida dos estrangeiros que ocupavam um espaço que, apesar de não ser deles, tinham a plena convicção que poderiam fazer o que bem entendessem, como se a China fosse uma terra de ninguém. Muitos usando da arrogância e da superioridade que ter o direito de colocar em prática somente porque eram estrangeiros.

Sinopse (Editora Fundamento)

Um crime do passado. Um desfecho surpreendente e inquietante.

Pequim, 1937

Na manhã fria de 8 de janeiro, o corpo da jovem Pamela Werner, filha de Edward Werner – ex-cônsul britânico e personalidade respeitada pela comunidade local -, é encontrado em um terreno baldio. Mutilada e com marcas de espancamento, a vítima teve todo seu sangue drenado e seu coração arrancado. Um cenário cruel que levou medo às ruas decadentes de Pequim e ao Bairro das Embaixadas, morada de ricos estrangeiros e de poderosos diplomatas que criavam suas próprias leis.

Um maníaco, vingança ou apenas azar? Motivação política ou retaliação do inimigo japonês? Quem seria capaz dessa barbárie e por quê?

A ocupação da China pelas tropas japonesas é inevitável e o governo de Pequim, instável e corrupto, está prestes a abandonar sua população à própria sorte. É apenas uma questão de tempo até que esse inebriante mundo de regalias, escândalos, superstições, clubes de elite e casas de ópio desmorone, arrastando e estrangeiros. E nesse período conturbado, onde os senhores das guerras agem em benefício próprio e as incertezas tomam conta de todos, os detetives Han, da polícia chinesa, e Richard Dennis, ex-membro da Scotland Yard, correm contra o tempo para juntar as pistas e solucionar o caso de Pamela antes da temida invasão.

Setenta e cinco anos após esses acontecimentos, o pesquisador Paul French reconstitui uma história verídica e desvenda os mistérios por trás desse assassinato brutal enquanto retrata com riqueza de detalhes os últimos momentos de Pequim colonial.

“Uma combinação excelente e incisiva de livro policial baseado em um crime real com o retrato de uma cidade à beira do colapso … Era uma época em que a vida não valia muita coisa e um massacre em escala mundial estava prestes a começar com toda a força. Talvez a coisa mais impressionante a respeito deste livro é que, mesmo com esse pano de fundo, os franceses ainda conseguem fazer com que nos preocupemos com a morte injusta de uma pessoa. ”

That`s Shanghai

“Retrata com maestria a época de corrupção que a China atravessava antes da Segunda Guerra Mundial … Uma narrativa bem construída, cativante e lúgubre ao mesmo tempo.”

Kirkus Coments.

Sobre Paul French

Nascido em Londres, Paul French viveu e trabalhou em Shanghai por muitos anos antes de retornar a Londres em 2013. Ele possui muitas publicações sobre a China e Coreia do Norte.

Seu livro literário de não ficção, Meia Noite em Pequim, foi um sucesso internacional tornando-se um Bestseller do New York Times, foi finalista do Goodreads Choice Awards de 2012 e também ganhou o prêmio Edgar Best Fact Crime de 2013 do Mystery Writers ‘of America e do Crime Writers’ Association (Reino Unido).

Esse foi um livro que me prendeu demais a atenção, em especial por explicar muitas coisas da relação dos chineses com os estrangeiros através da história. Percepção de quem vive aqui e entende as entrelinhas…

Zái Jiàn!

8 pensamentos sobre “Livro: “Meia Noite em Pequim”

  1. Acabei de comprar hahaha pra quem é do Brasil no site Estante Virtual tem por menos de 10,00 reais sem o frete. Obrigada pela dica Chris! Eu comprei As boas mulheres da China depois de ver aqui. Te mandei um direct sobre outro que li, amei e não ví por aqui. Talvez você não conheça então te indiquei. 🙂

    Curtido por 1 pessoa

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s