China/Cultura Chinesa/Curiosidades/Viagens/viver na China

Jianshui – nossa primeira parada ao Sul de Yunnan

Como já escrevi no primeiro artigo dessa viagem (link abaixo), chegamos em Kunming, mas nem sequer passamos pela cidade. Nosso destino foi direto do aeroporto para Jianshui, passando pelo imenso lago Fuxian.

Descobrindo o Sul de Yunnan – China

Nosso roteiro nessa parada foi bem tranquilo, apesar de não temos conseguido visitar o templo de Confúcio (chegamos 5 minutos depois do horário permitido para entrada), que só vimos do portão. Do resto cumprimos todo nosso roteiro, com uma temperatura super delícia, em torno dos 18 graus.

Mas vamos falar sobre Jianshui

Jianshui, na província de Yunnan, é uma das cidades históricas e culturais mais famosas da China. Com cerca de 1200 anos e um património cultural distinto e abundante, a Cidade Antiga goza de uma grande reputação como um “Museu de Edifícios Antigos e Casas Residenciais” e atrai muitos visitantes chineses e estrangeiros (na realidade vimos muitos grupos de turistas chineses mesmo).

Jianshui era chamada antigamente de Lin’an ou Badian Town. A história desta cidade antiga se iniciou do estado de Nanzhao (738-937). Por volta do ano 810, o estado de Nanzhao construiu a cidade de Huili.

Huili em Yi (uma minoria étnica da China) significa “vasto mar” e, na língua Han, é traduzido como Jianshui. Na dinastia Yuan (1271-1368), o governo criou Jianshui Zhou. Mais tarde, na dinastia Ming, foi mudado para Lin’an Fu. Sob o reinado do imperador Qianlong da dinastia Qing (1644-1911), foi mudado para o condado de Jianshui. Acho que quase todas as cidades chinesas atuais passaram por essas mudanças de nomes conforme a época e a vontade do Imperador.

Jianshui ainda mantém o estilo tradicional da cidade original na dinastia Ming (1368-1644). Com mais de 12 séculos, mais de 15 edifícios antigos permaneceram na “cidade antiga”.

Os famosos pontos turísticos incluem: Templo Jianshui Confúcio, Jardim da Família Zhu, Ponte do Dragão Duplo e o Local do Exame Nacional de Xuezheng (o Ministério da Educação Nacional) das dinastias Ming e Qing (esse local não estava no nosso roteiro) e o Jardim da Família Zhang, no vilarejo de Tuanshan (que fomos de trem).

Nosso Roteiro – primeiro dia

Bem, chegamos em Kunming na hora do almoço e seguimos direto para Jianshui. Chegando lá fomos ao hotel que fica na Cidade velha, que como todas as que passei em Yunnan é simplesmente encantadora.

Nosso hotel foi o Tingziyun Hotel Boutique, que fica numa casa típica da região com seus jardins internos e os quartos voltados para eles. Um labirinto, que a pessoa que na6o tem noção de direção, sempre se perdia.

Como sempre, os hotéis que nosso guia Kewen indica são maravilhosos. O que me espanta é encontrar lugares assim nessas regiões tão remotas da China.

Templo de Confúcio

Apesar de não termos conseguido entrar, achei algumas informações interessantes que decidi compartilhar sobre esse templo. As duas imagens abaixo, foi o que conseguimos ver do templo. 🙁

Construído na dinastia Yuan (1271-1368), foi o maior templo de Confúcio na época. O templo tem um estilo de construção tradicional chinesa, voltado para o sul. Tem 625 metros de profundidade, cobrindo uma área de 114 mu (18,78 acres), incluindo 31 edifícios.

Há um arco memorial em frente ao templo. Atrás do arco existe uma piscina de lótus verde, chamada PanChi Pool e a Xuehai (Sea of ​​Learning, uma academia onde alunos e acadêmicos se reuniam para estudar). É cercado por muros vermelhos e possui um pequeno pavilhão chamado Pavilhão Diao’ao que significa “alcançar carreira e fama”.

O Ancestral Master Hall, é o principal edifício do Templo e fica no terraço mais alto de todo o complexo. Rituais de sacrifício eram realizados, mostrando respeito a Confúcio. Há um incensário de bronze na frente do salão, cujas quatro patas foram esculpidas em quatro cabeças de elefantes, representando as características culturais do sul de Yunnan. Tudo somado, este Templo mostra claramente a mistura cultural dos Han e os outros grupos étnicos do Sul de Yunnan.

Por sinal, essa característica dos elefantes em todos os locais me intrigou no início, mas faz todo o sentido, já que o Sul de Yunnan recebe forte influência de Myanmar, Tailândia e Vietnã, países que fazem fronteira com a China nessa região. Vou falar mais sobre isso, quando chegar em Xishuangbanna.

Chaoyang Tower e a Hanlin Street

Chaoyang Tower (a torre de frente para o sol) é o marco da cidade antiga de Jianshui. Foi construído como o portão leste da antiga cidade na dinastia Ming (1368-1644) e permanece até agora, enquanto as outras três torres desmoronaram por causa de incêndios de guerra e a erosão do vento e da chuva. A Torre Chaoyang tem a reputação de ser a “Pequena Torre da Paz Celestial” porque é muito parecida com a Torre Tiananmen de Beijing, apesar de que a  torre de Jianshui ter sido construída 28 anos antes.

Tem 24,5 metros de altura, 12,31 metros de comprimento e 26,8 metros de largura, contendo três andares e cobrindo uma área de 414 metros quadrados. Possui o estilo tradicional de construção com grandes postes, um telhado de três beirais e portas esculpidas em madeira. Sob o beiral pendem tábuas horizontais, inscritas por celebridades, como o calígrafo Tu Rizhuo na Dinastia Qing (1644-1911) e o Santo Escrito Cursivo Zhang Xu (658-747) na dinastia Tang (618-907). Outra atração é o sino pendurado na torre, que tem mais de 2 metros de altura. Na hora do pôr do sol, o sino ressoa por toda a cidade.

Além de toda a beleza desse portão, há uma exposição muito interessante montada na parte interna do prédio, que mostra como foi a construção da estrada de ferro antiga chamada Geibishi (que nos levou até a maravilhosa ponte Double Dragon) que hoje só é explorada como turismo local.

Fomos no portão tanto de dia como a noite e é impressionante de se notar a transformação do mesmo lugar. A noite tem uma vida em torno dele, grupos dançando, vendedores, luzes e mais luzes (como é comum em toda a China), uma alegria contagiante.

Para chegarmos até esse portão, caminhamos pelas ruas de pedra e comércio fervilhante da rua Hanlin (situada na cidade velha – Old Town), que tem todo o charme das pequenas cidades chinesas que ainda conservam muito da tradição e dos costumes milenares (apesar de todos terem um smartphone nas mãos).

Doufu ou Tofu para os íntimos

Também comemos nessa rua, num restaurante local. O prato típico dessa região é o tofu assado, bem pitoresco. Como se fosse um churrasco na chapa e que não convence meu paladar, apesar de não ser ruim.

Nos deparamos com várias chapas (como as da foto) espalhadas nas calçadas e portas dos pequenos restaurantes locais. Todos sentam em bancos e mesas minúsculas (me lembrou minhas salas de aula de educação infantil), e comem na frente delas.

O mais interessante dessa região, que impacta diretamente na vida diária das pessoas, são os poços de água potável comunitários. Além de suprir o consumo de água local, é em volta deles que se fabricam os tofus, já que os mesmos precisam de uma grande quantidade de água no seu preparo.

Zhu Family Garden

Também chamado ‘Grand View Garden’ da Província de Yunnan do Sul, é um belo exemplar das casas residenciais chinesas da dinastia Qing (1644-1911). Ao caminhar pelo jardim, parece que você está passeando pelo Grand View Garden descrito em “Um sonho das mansões vermelhas” (um famoso romance clássico chinês de Cao Xueqin (1724-1764) na dinastia Qing, que já estou tentando encontrar ao mesmo em inglês para ler).

Este jardim foi a residência e templo ancestral do rico Zhu Weiqing e seu irmão, na dinastia Qing (1644-1911). Foi construído no ano do imperador Guangxu (1871-1903), cobrindo uma área de mais de 20.000 metros quadrados.

O Jardim da Família Zhu possui 218 pavilhões e torres com cumes íngremes, vigas e tetos pintados, bem como 42 Tianjing (o espaço entre casas e paredes ou duas casas separadas em um pátio).

Todos os edifícios nos pátios desfrutam de um nome elegante e único, como a Torre Hanyu, o Pavilhão Lan (Orquídea) e o Pavilhão Xufang. O jardim é um bom lugar para explorar os edifícios residenciais da Dinastia Qing.

E assim foi nosso primeiro dia nessa cidade linda. A próxima aventura será na estrada de ferro!

Zái Jiàn!

2 pensamentos sobre “Jianshui – nossa primeira parada ao Sul de Yunnan

Deixe uma resposta para mariel Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s